quarta-feira, 21 de abril de 2021

Grupo Sete faz adesão ao evento mundial Earth Day (Dia da Terra) 2021

O evento mundial, realizado anualmente no dia 22 de abril, teve seu início nos Estados Unidos em 1970, e tinha como proposta a mobilização de americanos para os efeitos dos 150 anos de desenvolvimento industrial que havia deixado graves impactos na saúde humana. 

Foto 01 - Histórico do Dia da Terra
Fonte: Earth Day (2021)

"Nas décadas que antecederam o primeiro Dia da Terra, os americanos consumiram grandes quantidades de gás com chumbo em automóveis enormes e ineficientes. A indústria expeliu fumaça e lama com pouco medo das consequências da lei e a poluição do ar era comumente aceita como o cheiro da prosperidade (EARTH DAY, 2021)."

Ao longo das décadas, o evento reuniu centenas de milhões de pessoas em mais 193 países, e em 2021 as ações ocorrerão na modalidade virtual tendo como um dos tópicos: Alfabetização Climática e Ambiental. 

Mapa 01 - Localização dos eventos 2021

Fonte: Earth Day (2021)


O G7 Ambiental aderiu ao evento e realizará no dia 22 de abril (Dia da Terra) a ação institucional denominada "Dia D Sem Copos Descartáveis"em que os colaboradores deverão trocar copos descartáveis por uma caneca reutilizável, dentro das instituições. Para saber mais clique aqui.

Foto 02 - Divulgação da campanha interna "Dia D Sem Copos Descartáveis"



              Mapa 02 - Localização do evento do G7 no Earth Day 2021

Fonte: Earth Day (2021)



segunda-feira, 22 de março de 2021

“Traz água para o Velho Chico beber[...] traz água de qualquer jeito.”



A música intitulada “Rio Sedento” de Flávio Leandro traz uma mensagem de reflexão, pois retrata uma situação do Rio São Francisco pedindo água... água para beber. Porém o que chama mais a nossa atenção é que “de triste chora a Serra da Canastra, se afasta para sempre do seu mar e de sede sofre o rio e a criatura”, ou seja, a ausência da água compromete a existência de todos da Biota (conjunto de seres vivos, flora e fauna que habitam determinado ambiente).

 

O cenário apresentado na música não está distante da realidade, pois 1 em cada 3 pessoas no mundo não tem acesso a água potável (UNICEF/OMS, 2019). No relatório de 2019, UNICEF e OMS ressaltam sobre as desigualdades de acesso à água, ao saneamento e à higiene, destacando que mais da metade do mundo não tem acesso a serviços de saneamento seguro (irregularidades nos serviços oferecidos).

Bem amigo leitor, não podemos ficar observando e/ou terceirizar as ações simplesmente para os gestores públicos, pois bem, o Grupo Sete assumindo a sua responsabilidade ambiental e alinhado com o  ODS nº6 da ONU, tem investido em sistemas que permitem o uso sustentável dos recursos hídricos, a exemplo da perfuração dos poços tubulares para utilização da água nos jardins e vasos sanitários e na captação e uso da água das centrais de refrigeração de ar também na irrigação dos jardins, outro exemplo está na construção da clínica de odontologia pois o modelo escolhido foi o steelframe (sem a necessidade de uso de água e com uma geração de resíduos em torno de 1%).


Diante dos cenários apresentados tanto na música e, principalmente, na vida real a ONU fez um chamado para sermos protagonistas das seguintes ações:

1º Acabar com a negação sobre a crise global de água;

2º Desligar a torneira e acabar com o desperdício;

3º Acabar com a poluição e com a destruição das bacias hidrográficas;

4º Criar soluções, ter ideias e inovações para garantir o acesso universal à água.



Fonte:

https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/1-em-cada-3-pessoas-no-mundo-nao-tem-acesso-agua-potavel-dizem-unicef-oms

https://www.un.org/en/events/waterdecade/

https://odsbrasil.gov.br/objetivo/objetivo?n=6

https://www.youtube.com/watch?v=IAVdoNeHw08


domingo, 14 de fevereiro de 2021

Grupo Sete implanta coleta seletiva institucional

Sabe-se que, no Brasil, cada indivíduo produz em média 379 kg/ano de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), desse volume 43,5% é de matéria orgânica (sobras e perdas de alimentos, madeiras e resíduos verdes), já os resíduos secos segregados por plástico, papel, papelão, vidros, metais e embalagens multicamadas somam outros 33,6%, conforme imagem 01 da gravimetria dos RSU.

Imagem 01 – Gravimetria dos RSU no Brasil

ABRELPE (2020)


Nesse cenário, observa-se também que 14,1% são de rejeitos, aqui classificados principalmente por materiais sanitários que devem ter como destino final o aterro municipal.

O Brasil precisa avançar na coleta seletiva, pois o Diagnóstico do Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos do SNIS-2020 realizado em 2019, com 3.712 municípios brasileiros apontou que apenas 38,7% deles declararam a existência de ações para a coleta seletiva. 

Enquanto isso, o Grupo Sete adotou ações de sustentabilidade tendo como base o ODS 12 – Objetivo do Desenvolvimento Sustentável da ONU“que propõe assegurar padrões de produção e consumo sustentáveis”, nesse contexto implantou a coleta seletiva no Colégio Sete e no UniRios, incluindo coletores de resíduos em vários espaços a exemplo da copa (foto 01), que permite o descarte separando os resíduos por categoria, que posteriormente são recolhidos pelo serviço público e/ou Associação de Reciclagem de Paulo Afonso(ARPA), contribuindo para o reaproveitamento de recicláveis evitando que o destino seja o aterro sanitário municipal.

                                            Foto 01 - Copa do UniRios

Foto: G7 Ambiental

Por fim, gostaríamos de convocar o nobre leitor para ser protagonista da coleta seletiva. Como? Basta fazer a separação dos resíduos sólidos gerados na sua residência em 3 partes (orgânico, reciclável ou rejeito), depois destine-os para os catadores, saiba mais, ou ligue para ARPA através do telefone (75) 3281 7395. 


Fonte:
http://www.snis.gov.br/downloads/diagnosticos/rs/2019/Diagnostico-SNIS-RS-2019-Capitulo-07.pdf
https://www.reciclasampa.com.br/baixar-materiais

quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

UniRios sedia atividade de capacitação sobre o Plano Diretor (PDDUA) de Paulo Afonso

A Secretaria de Meio Ambiente-SEMA de Paulo Afonso, através da Vivenda Consultoria, Assessoria e Planejamento está promovendo uma série de quatro encontros para capacitação de sua equipe técnica acerca do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental - PDDUA e Licenciamento Ambiental. 

A capacitação da equipe do SEMA aconteceu no dia 26/01 nas dependências do Centro Universitário UniRios, em um dos laboratórios de informática, respeitadas as medidas de biossegurança, para realização de exercícios práticos. 

Na oportunidade Marcos Dantas, assessor de qualidade e também Conselheiro Ambiental, fez uma breve explanação das ações do G7 Ambiental em 2020, incluindo a coleta seletiva interna de pilhas e óleo de cozinha, além da inclusão de coletores para a separação de resíduos gerados nas Instituições Sete e UniRios, bem como das ações de articulação com empresas nacionais para a implantação da logística reversa de lâmpadas e pneus no município.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Retrospectiva G7 ambiental 2020

A questão da sustentabilidade sempre esteve no norte das ações das Instituições de Ensino: Colégio Sete e do Centro Universitário do Rio São Francisco-UniRios. Porém, no ano em curso, elas foram ampliadas seja nos investimentos no sistema de energia solar, no reaproveitamento da água proveniente de aparelhos de ar condicionado (para uso não potável, a exemplo de: jardinagem e descarga sanitária), nas orientações sobre a importância da coleta seletiva, no plantio de espécies arbóreas do bioma caatinga, entre outros.

No parágrafo anterior, falamos do fator interno às instituições do Grupo Sete, entretanto em 2020 merecem destaque as ações de fomento às diversas parcerias com organizações que atuam na logística reversa de diversos resíduos, a exemplo da Alternativa de Reciclagem de Paulo Afonso-ARPA, da ONG Limpa Brasil, da Reciclanip (coleta de pneus inservíveis), da Reciclus e Cicloteo (coleta e tratamento de lâmpadas), da ONG Pinhão Roxo (reaproveitamento de óleo para fabricação de sabão). Essas e outras parcerias foram apresentadas para a sociedade nas reuniões ordinárias do Conselho Municipal do Meio Ambiente de Paulo Afonso/BA, em que o G7 tem cadeira como empresa do setor de serviços educacionais.

Para relembrar algumas das ações, faça uma tour no card abaixo e click para ter acesso às matérias e vídeos relacionados.